Doçaria conventual e não só para provar em Coimbra

0
355

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), Manuel Machado, e a vereadora da Cultura, Carina Gomes, visitaram, esta tarde, a IX Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra, que decorre até amanhã, no Quartel da Brigada de Intervenção (antigo Convento de Sant’Ana, junto ao Estabelecimento Prisional de Coimbra).

Uma iniciativa de entrada gratuita, que promove o melhor do património doceiro do país, organizada pela CMC com a colaboração da Brigada de Intervenção.

Carina Gomes destacou a apresentação do doce Pedro & Inês, já disponível no certame e que irá ser apresentado amanhã.  “Já provei e é bastante bom”, garantiu a autarca.

“Estamos a criar novas tradições em Coimbra; o ano passado foi apresentado o Rosas da Rainha”, comentou Carina Gomes, que destaca a “preservação do património imaterial conventual e, ao mesmo tempo, o criar novas tradições e novos motivos de atração a esta mostra e novos motivos de visita a Coimbra”.

A vereadora da Cultura da CMC salientou ainda as muitas pessoas que visitavam a Mostra, ao início da tarde de hoje. “A esta hora há mais público do que é habitual”, apreciou. “Temos vindo a aumentar o número de expositores; este ano são 42, o ano passado foram 40 e em 2014 e 2015, 37”, afirmou.

A nona edição da Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra conta com a mais elevada participação de sempre e uma ampla abrangência nacional, trazendo a Coimbra 39 expositores doceiros, a que se juntam as habituais participações da “Colares Editora” (Sintra) e do artesanato local, representado pela tecelagem de Almalaguês (Associação para a Preservação das Tradições Locais “Herança do Passado”) e por Maria José Nogueira (artesã conimbricense, na área dos registos de Santos).

Os expositores representam estabelecimentos comerciais ligados às áreas da Doçaria e Pastelaria e outras Associações/Confrarias do ramo.

No certame, é possível degustar a preciosa e doce herança de alguns conventos de Coimbra – Celas, Santa Clara e Santana – bem representada, através da presença de participantes da região centro, provenientes de Alcobaça, Alfeizerão, Ançã, Aveiro, Coimbra, Lamego, Leiria, Lorvão, Miranda do Corvo, Ovar, Pereira, Pombal, Tentúgal e Tomar. Os pastéis de Santa Clara, o manjar branco, as arrufadas de Coimbra, as queijadas, as talhadas de príncipe, os suspiros, a barriga de freira, a encharcada e o pão de ló, são algumas das especialidades doceiras expostas.

Na nona edição do evento ainda se pode observar a notável arte de manusear ingredientes como o açúcar, os ovos ou a amêndoa, entre outros, através das especialidades doceiras trazidas a Coimbra por expositores oriundos de outros pontos do país, designadamente de Amarante, Braga, Cabeceiras de Basto, Caldas de Vizela, Évora, Felgueiras, Guarda, Régua, Reguengos de Monsaraz, Santa Maria da Feira e Vila Real.

Mas este certame é também recheado de diversos momentos de animação. Hoje, até às 23h00 (encerramento), a mostra contará com atuações do “Grupo Cordas Castiças” (do Centro Cultural, Desportivo e Cultural de S. Frutuoso), da Filarmónica União Taveirense, e do Coimbra Gospel Choir (da Amazing Arts – Companhia de Artes de Coimbra).

Amanhã, pelas 15h00, será apresentado oficialmente o novo doce, criado em Coimbra pela Associação de Doceiros de Coimbra (ADOC). “Pedro e Inês”, assim se designa a iguaria, é feito com ingredientes tradicionais e foi criado no âmbito da comemoração dos 650 Anos da Morte do Rei D. Pedro I. Este momento alto do certame, que constitui mais um importante contributo para a preservação e divulgação da história e da sua relação com o riquíssimo património de sabores e saberes da doçaria coimbrã, será ainda complementado por uma intervenção cénica, a cargo do Grupo de Animação Cultural da Escola Secundária D. Duarte.

Os espetáculos da “Academia de Cultura e Desporto Wolfdance”, do Grupo de Concertinas “Sons de Casconha”, e da Fanfarra do Exército, completam o programa da IX Mostra de Doçaria Conventual e Regional de Coimbra.

DEIXE UMA RESPOSTA